19 de jul de 2013

Algo de Insano: X - O acidente

   Continuei o projeto de fazer a Camila feliz no pouco tempo que tinha de vida, por mais umas duas semanas depois do passeio ao parque. Fomos ao shopping quase todos os dias. Assistimos aos filmes que estavam em cartaz, compramos muitas coisas inúteis, comemos muito doce, até viajamos para um hotel fazenda. O Lucas e o Pedro ajudaram muito nessas duas semanas, eles compravam tudo o que queríamos.
   Mas passadas essas duas semanas, ela começou apresentar muita tontura, enjoo, dores de cabeça mais fortes que antes, começou esquecer algumas coisas. E conforme os dias iam passando, mais coisas iam começando acontecer. Era um novo sintoma por dia. Até que,quando ela não lembrou o próprio nome,o seu médico disse que era melhor ela ser internada em uma UTI. E mais, o médico disse que ela poderia morrer a qualquer momento.
   Camila estava internada por três dias, e já estava tão dopada, que dormia o tempo todo. Injetar grandes doses de remédio nela era o único jeito de impedir as dores. Eu estava muito triste, assim como todo mundo. Era inevitável visitá-la e saber que ela não lembrava o nome de ninguém, saber que a qualquer dia, ela poderia partir, era inevitável ver as nossas fotos antigas, lembrar de todos os nossos planos, e saber que eles não iriam se realizar.
   Pedro propôs uma visita a uma cachoeira que nós dois sempre íamos quando algum de nós estava triste. Nesse caso, nós dois estávamos tristes. A cachoeira fica a 20 km da nossa cidade. Estávamos indo e o Pedro estava dirigindo, porque apesar de que ele estava abalado, não era nada comparado a mim. Nessa estrada tem uma curva que é chamada curva da morte, porque muitos acidentes aconteceram lá.
   Quando estávamos nessa curva, um carro estava ultrapassando um caminhão, e infelizmente não deu tempo de jogar o carro para o lado. Batemos de frente. Quando me dei conta do estrago, uma ambulância já havia chegado. Pedro estava desmaiado, mas estava bem, quebrou a perna, mas fora isso nada mais. O Motorista do outro carro estava em estado grave. E eu... bem,eu estava muito bem,tirando o fato de que meu corpo inteiro estava preso nas ferragens.

   Foi necessário mais de duas horas pra conseguirem tirar meu corpo de lá. Depois fomos levados ao hospital. Eu dormi por mais ou menos dois dias, passei por várias cirurgias, mas mesmo assim, minhas pernas foram amputadas. E pra piorar tudo isso, eu peguei uma infecção que já havia tomado todo o meu abdome. Ou seja, ia morrer também. E morri...

Nenhum comentário:

Postar um comentário